Neste artigo, Solange traz algumas reflexões a partir de sua experiência com desenvolvimento humano e seus Resultados para empresas, pessoas, órgãos públicos e instituições de ensino.


Eu realmente acredito no desenvolvimento humano e na valorização do capital intelectual como uma solução eficiente e um diferencial competitivo. Os programas de desenvolvimento geram novos conhecimentos, aumentam o engajamento, a motivação, a força, assertividade e a persistência das pessoas, comportamentos que impulsionam a mudança de comportamento, o desenvolvimento de novas competências e a melhora da performance, diante das transformações que impactam a sociedade, educação e o
mundo do trabalho em um ambiente vuca, como dizem os especialistas volátil, incerto, complexo e ambíguo.

 

 

As empresas e indústrias lidam constantemente com os mais variados desafios: competitividade, pressão por resultados, necessidade do aperfeiçoamento da qualidade,
estabelecimento de metas de crescimento do negócio, melhorias dos processos e da satisfação do cliente. E diante desse cenário o desafio da Gestão de Pessoas, do preparo das lideranças, da motivação das equipes, da administração dos conflitos, dos relacionamentos dos profissionais, abordando suas dificuldades, vaidades e demais aspectos positivos e negativos que compõem a natureza humana, repleta de potenciais e, ao mesmo tempo, limites a serem superados. Nesse contexto, é importante considerar o equilíbrio das ações e dividir a atenção, o planejamento e o investimento entre o crescimento do negócio e o desenvolvimento das pessoas com programas eficazes de desenvolvimento de competências como o coaching executivo e programas específicos de desenvolvimento comportamental, para atingir rapidamente os resultados esperados e fortalecer uma cultura de desenvolvimento de pessoas, tornando-as cada vez mais preparadas para executar as estratégias e obter os melhores resultados para ambos a empresa e o profissional.
 

Nas ME/PP, empresas familiares, podemos encontrar muitos exemplos em que a visão e os sonhos do fundador frutificaram no interesse e no propósito dos seus descendentes, os quais, como uma equipe afinada, trabalham juntos pelo crescimento do negócio. Uma caminhada repleta de desafios, em que a persistência, o aperfeiçoamento e a coragem são requisitos básicos para enfrentar as adversidades das mais variadas naturezas, sejam eles técnicos, estratégicos, políticos, humanos ou, ainda, da dinâmica familiar, repleta de memórias afetivas pois cada um está constantemente desempenhando dois papéis o de profissional e de familiar tornando o desafio ainda maior. Enfrentar essa situação não é tarefa simples, merece atenção e uma gestão eficiente, capaz de evitar retrabalhos, prevenir conflitos velados, equipes polarizadas, tomada de decisão lenta e um jogo político de interesses. É importante considerar o preparo dos donos do negócio e de seus sucessores por meio de programas efetivos de gestão de pessoas e liderança utilizando o coaching de equipe, com foco nos interesses do grupo/empresa acima dos individuais e com treinamentos específicos em relação aos processos, para que a liderança dos sucessores seja competente, centrada na maestria e capaz de trazer soluções inovadoras sem perder os valores essências do fundador. Os programas de desenvolvimento comportamental proporcionam autoconhecimento, clareza dos papéis e assertividade nas ações. Cabe ressaltar que essas ações não podem ser negligenciadas, a falta de iniciativa pode torna-se evidente aos colaboradores e gerar improdutividade por conta da rápida identificação dos problemas e lenta resolução e identificação das causas.
 

Atualmente nas Instituições de Ensino, um dos desafios na formação e na prestação de serviços de Educação em todos os níveis, tem sido o de conciliar a tradição com a inovação e a forma de transmitir o conhecimento, para um público de gerações diferentes, cujas experiências/expectativas são variadas onde todos estão na instituição de ensino compartilhando o espaço da diversidade, que rompeu barreiras e conectou pessoas no presencial e no virtual. Essa diversidade torna ainda maior o desafio dos mantenedores, diretores e coordenadores em proporcionar uma formação de alto nível para um consumidor exigente, que tem acesso às transformações que a própria tecnologia está democratizando, em todos os tipos de serviços e levando para outro nível o acesso a informação e o conhecimento disponível.
É importante que as instituições de ensino invistam e trabalhem fortemente na integração da gestão administrativa, pedagógica e de pessoas. A fragmentação contribui com organização da estrutura, porém pode prejudicar o processo de integração da instituição. Os mantenedores precisam exercitar a visão sistêmica para olhar o processo inteiro; identificar o que atualmente não faz sentido ou está desatualizado; rever processos para aproveitar a genialidade humana, tão evidente no ambiente educacional/acadêmico e, assim, consolidar a construção de uma inteligência coletiva, por meio de programas estruturados de desenvolvimento das competências específicas das principais lideranças, dos coordenadores, da área pedagógica, e dos gestores administrativos. Cuidar fortemente da GESTÃO DE PESSOAS para tornar o capital intelectual um verdadeiro diferencial de competitividade no mercado. Investir nas pessoas.
 

Em órgãos públicos, o funcionário faz a escolha de trabalhar servindo a sociedade, atuando em uma estrutura de qualidade ou inserido em um ambiente mais desafiador, dependendo da região e/ou outras questões que estão além do seu controle, tais como a estrutura, a legislação, a política e a cultura organizacional do serviço público. Tais aspectos podem gerar relativo impacto no seu desempenho e de suas equipes de trabalho. Qualquer servidor público, no exercício de sua função, pode encontrar todas as adversidades de qualquer ambiente profissional privado e superá-las com seu conhecimento, profissionalismo e comprometimento; mas pode deparar-se, também, com uma situação, um colega, um superior ou subordinado que atua de forma diferente frente as suas atribuições, uma situação que traz, em si, uma grande oportunidade de melhorar as próprias competências, a flexibilidade e a resiliência.
Porém muitas vezes é desafiador lidar com tais adversidades, por isso é fundamental programas de desenvolvimento, para ajudar os gestores públicos a potencializar seus recursos internos, lidar com os desafios da melhor maneira possível e gerar o menor impacto negativo no ambiente de trabalho. É importante que o órgão público considere a eficiência das ações específicas e pontuais com programas de desenvolvimento que contribuam, de forma prática, com a mudança da cultura, que desenvolva fortemente o engajamento das pessoas, a motivação das lideranças e dos servidores em geral.
Programas de desenvolvimento comportamental como o coaching geram a sinergia de ação para que cada um atue, em seu trabalho, focado no que está sob o seu controle e contagie o máximo de pessoas, sendo um exemplo vivo daquilo em que acredita. Uma tarefa que parece simples; porém, de grande complexidade e que, apenas quem vivência de perto, pode mensurar.
 

Os empreendedores, os donos do próprio negócio são movidos por sonhos, metas e objetivos, por isso são verdadeiros apaixonados pelo serviço ou produto que oferecem; incansáveis “faz tudo, junto e ao mesmo tempo”, demonstram a garra com a qual conseguem fazer seu negócio crescer com prosperidade; porém, com o tempo, isso pode trazer efeitos colaterais para a saúde geral da empresa, tais como gestão centralizadora com dificuldade de delegar ou delegar em excesso, sem o preparo adequado, a quem as executa. Em outras situações, o próprio raciocínio acelerado do empreendedor pode gerar ações apressadas sem o planejamento adequado, criando, assim, dificuldades, à revelia da percepção de que podem “travar” o próprio crescimento. É importante considerar a capacitação do empreendedor na visão sistêmica do negócio. Se o dono do negócio não conseguir executar de forma assertiva, precisará contratar por meio de técnicas adequadas, e, assim, compor uma equipe profissional competente, que “faça acontecer” e possibilite a ele manter o foco no estratégico, na gestão do negócio e das pessoas, aperfeiçoando a liderança, a comunicação, o feedback, e todos os aspectos que impactam na performance dos profissionais atuando como um verdadeiro gestor.
 


Solange Tahira


Siga e Compartilhe:
Desenvolvimento humano é a solução
Classificado como:                                        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou? Compartilhe!